Faber-Castell since 1761
Introdução Geral
Você está em:   Home  |  Professores  |  Na sala de aula  |  Propostas Didáticas para abordagens em sala de aula
Propostas Didáticas para abordagens em sala de aula

21/03: Dia Internacional da Floresta
e 22/03: Dia Mundial da Água

As florestas têm importância indiscutível, tanto pela biodiversidade, quanto pela absorção de dióxido de carbono, estabilidade do clima e proteção do solo. Em 1971 foi instituído o Dia Internacional das Florestas, que é comemorado em 21 de março.

A diminuição das florestas diminui também a biodiversidade, afeta os regimes de chuvas, que tendem a diminuir, e a liberação de dióxido de carbono, que pode influenciar ativamente nas mudanças climáticas.

Em março, no dia 22, também se comemora o Dia Mundial da Água, data criado pela ONU (Organização das Nações Unidas) no ano de 1992. A proposta foi a de estipular uma data para se refletir e discutir sobre meios de preservar esse recurso imprescindível para a sobrevivência do Planeta Terra e de todos que dele fazem parte.

Ao lado da biodiversidade e do aquecimento global, a disponibilidade de água está se tornando uma das principais questões socioambientais do mundo atual. Aqui no Brasil vivemos de perto o problema e os efeitos da falta e do racionamento de água.

dia_arvore_aguaComo percebemos, ambos os temas estão estreitamente relacionados e esse pode ser um gancho para abordá-los em sala de aula, a fim de conscientizar os alunos e promover atitudes sustentáveis que eles levarão para a vida.

Pensando nessas questões, sugerimos a seguir algumas abordagens para trabalhar a questão hídrica e de natureza sob a perspectiva da sustentabilidade, do consumo consciente e da educação ambiental. Lembrando que essas são apenas sugestões para nortear o trabalho a ser desenvolvido, mas cada professor, com cada faixa etária e cada grupo, deve estar livre para adaptar, criar e recriar as ideias de acordo com a adequação de cada situação.

O trabalho pode partir do objetivo de promover situações significativas a partir das quais os alunos conseguirão identificar a presença da água em seu cotidiano e reconhecer sua importância como recurso natural indispensável para a vida no planeta.

Sendo assim, pode-se pensar em atividades de reconhecimento das diferentes etapas e processos que constituem o ciclo da água na natureza. É valido trazer para a sala de aula uma avaliação sobre as repercussões das alterações que as atividades humanas causam no ciclo da água e no meio ambiente. Nessa etapa, podem ser trabalhadas questões como a origem, composição e distribuição da água e seus caminhos pela natureza, essenciais para compreender a utilidade da água na vida das pessoas e por que, sem ela, não seria possível a vida na Terra.

E que tal criar uma Comissão de Meio Ambiente e Qualidade de Vida no grupo ou até mesmo na Escola?

Formular metas e objetivos também é um modo de incentivar e envolver os alunos nessa temática. Pode-se montar um quadro de metas e a cada uma delas atingida, o grupo escolhe como irá comemorar a conquista.

Para ampliar o trabalho e ir além de seu grupo de alunos, sugira aos alunos criarem uma campanha informativa para o desenvolvimento da consciência ecológica. Os alunos podem criar frases sobre atitudes sustentáveis e colocá-las em locais estratégicos, como por exemplo: economize água (próximo às torneiras), apague a luz ao sair (próximo aos interruptores), jogue seu lixo aqui (próximo à lixeira) etc.

É importante também incentivar os alunos a buscarem informações sobre os temas abordados. Para os alunos mais velhos, um incentivo extra é a criação de um Blog, no qual deverão “alimentar” com informações que eles mesmos encontraram em suas pesquisas.

Aulas de campo, visitas a fundações, parques, empresas e praças também são recursos enriquecedores e ajudam os alunos a entenderem na prática o funcionamento de tudo aquilo que estão estudando.

Como disse Mahatma Gandhi: “Você nunca sabe que resultados virão da sua ação. Mas se você não fizer nada, não existirão resultados.”

Por isso, pense, inove e promova entre seus alunos uma educação para a sustentabilidade para que eles desenvolvam e internalizem sua consciência ecológica.