Faber-Castell since 1761
Introdução Geral
Você está em:
Planejamento anual

PlanejamentoDurante as primeiras semanas do início do ano, os professores investem um bom tempo para organizar o trabalho que será realizado ao longo dele. Esse planejamento anual deve ser feito e pensado de modo construtivo, maleável e passível de adequações, já que imprevistos acontecem.

Já vimos em texto anterior (Hora de Planejar – Agosto 2014) que planejar significa estabelecer atividades, recursos, tempo e espaços que serão necessárias para se atingir um objetivo do modo mais eficiente possível. É identificar, hoje, que atividades você precisa desempenhar para construir o amanhã. E esse planejamento, além de ser uma maneira de organizar a prática educativa de modo a alcançar os objetivos propostos com cada atividade, ajuda o professor a se prevenir em relação a problemas que podem surgir no meio do caminho.

Sendo a escola conhecida como “instituição do saber”, a mesma exerce uma enorme importância para toda a sociedade. Assim, ao refletir e colocar em prática o planejamento anual, é preciso partir do princípio de que a escola necessita ser pensada como “preparação” para a vida a partir da qual formaremos alunos que saibam pensar sobre o mundo, a sociedade na qual estão inseridos, aceitando e convivendo respeitosamente com as diferenças.

A partir daqui devemos pensar no planejamento anual com o foco de auxiliar o docente a aproveitar o tempo escolar de modo mais qualificado e significativo dentro de sua prática cotidiana. Cada professor deve buscar sua própria estrutura de organização de suas ideias para acompanhar os avanços e desafios do grupo e de cada aluno, e dar sequência ao trabalho. Lembrando que a educação e o dia a dia escolar são muito dinâmicos, e por isso é importante que o planejamento seja elaborado de modo que seja possível flexibilizá-lo e até ampliá-lo.

E como nossas propostas devem ser voltadas aos nossos alunos e às peculiaridades do grupo, nada mais construtivo do que conhecê-los antecipadamente e considerar suas características ao elaborar as atividades didáticas. Para isso, você pode ler os relatórios do ano anterior e verificar os avanços e desafios que cada um está levando para o período letivo. Conversar com os docentes que acompanharam seus alunos é também uma boa dica. Recepcionar e conversar com as famílias também auxilia a perceber melhor a bagagem que cada um trará consigo.

No início das aulas, procure também conhecer seus alunos individualmente, propondo momentos em que dedicará sua atenção a cada um e também solicitando apresentações individuais para que observe a percepção que cada um tem de si.

Se a aprendizagem em sala de aula for uma experiência de sucesso, o aluno constrói uma representação de si mesmo como alguém capaz. Do contrário, ao vivenciar uma experiência de fracasso, a escola e a aprendizagem podem se tronar uma “ameaça” negativa.