Faber-Castell since 1761
Introdução Geral
Você está em:
Maratona de Desenhos Faber-Castell: Eventos e Notícias

Maratona de Desenhos Faber-Castell: Eventos e Notícias

A Faber-Castell está promovendo uma Maratona de Desenhos, um projeto em que crianças têm a oportunidade de representar através de um desenho aquilo que está mais latente em suas percepções de mundo. Elas podem expressar-se livremente por meio de seus trabalhos e, com isso, podemos ter uma nação de como enxergam o futuro.

O desenho infantil tem grande significado para a compreensão de como acontecem as percepções e aprendizagens das crianças. Assim como a brincadeira e a linguagem verbal, os rabiscos ganham complexidade conforme os pequenos crescem e, ao mesmo tempo, impulsionam seu desenvolvimento cognitivo e expressivo.

Desenhar faz parte de seu cotidiano, seja usando um lápis, uma lasca de tijolo ou um giz, sobre um papel, na parede, no chão ou qualquer outro suporte.

A princípio desenham pela exploração dos objetos e da experiência em si, procurando modos de ocupar a folha e pelo simples prazer da descoberta e diversão. Com o passar do tempo, seus traços vão tomando formas mais concretas e criando significados, passando a registrar suas percepções.
Nesta fase, é também a partir do desenho que a função de atribuição de sua significação se expressa e se constrói.

A representação gráfica da realidade, ou da percepção dessa realidade, feita pela criança é uma das principais funções do desenho no desenvolvimento infantil.

E trazer os objetos vistos no mundo para o papel é uma forma de lidar com os elementos do dia a dia. Assim, o desenho passa a ser também um instrumento de comunicação a partir do qual a ela usa a visualidade e a motricidade para mostrar seus medos, anseios e outros sentimentos.

Maratona de Desenhos Faber-Castell: Eventos e Notícias

Esse processo caracteriza o desenhar como um jogo simbólico, ou seja, um recurso de a criança lidar com a realidade que a cerca, representando situações de seu interesse e que são relevantes em cada etapa de sua vida.

Seja espontâneo ou fruto da cultura na qual se está inserido, o fato é que a partir do desenho é possível se comunicar e também entender as percepções sobre as situações.

Mas atenção! Assim como citou o famoso educador Jean Piaget, a criança não desenha exatamente o que vê, mas sim sua percepção daquilo que está vendo. Seu desenho reflete a imagem e conceito do objeto que a oferece seu significado. Para a criança, o significado do desenho é subjetivo. Ele muda de acordo com suas vontades, necessidades e do estado em que ela se encontra. Então, essa é uma representação momentânea e não necessariamente permanente. A criança desenha menos o que vê e mais o que sabe.

O desenho, entre o jogo simbólico e a imagem mental, subordina-se às leis da conceituação e da percepção (PIAGET, 1973). A percepção do objeto corresponde à atribuição de sentido dado pela criança, constituindo-se realidade conceituada, e não material.

Assim, o desenho infantil é um recurso muito importante e construtivo para conhecermos e compreendermos as ideias e desejos das crianças para as diversas situações do dia a dia. A partir dele é possível aprimorar a prática docente do professor e propor ações diferenciadas sobre a significação dos traçados e representações gráficas doa alunos, além de compreender sua evolução no processo de desenvolvimento dos alunos.

A atuação do professor torna-se fundamental durante as propostas para aprendizagem, zelando pela condição de liberdade de expressão dos pequenos.

E o que será que elas pensam para o “Futuro das Gerações”? Vamos conhecer ao final da Maratona de Desenhos da Faber-Castell.


 Fiquem de olho no material que será disponibilizado aqui no site!


Para fazer na Escola:

E você, sabe o que seus alunos pensam sobre o futuro?

  • Que tal proporcionar uma oficina de desenhos a eles para conhecer um pouco mais sobre suas percepções a respeito dos diversos temas e até mesmo conflitos que envolvem o dia a dia em sala de aula? Lembre-se de disponibilizar diferentes suportes.
  • Faça variações dos tipos de técnicas e materiais a serem utilizados: complexidade da atividade, número de opções, expectativas e interesses em geral.
  • Varie tamanho, cor, formato, tipos e textura dos papéis, além do local no qual irá colocá-los (embaixo da mesa, no chão, na parede e em diferentes superfícies).
  • O resultado mudará de acordo com a superfície na qual foi feita a atividade. Lembre-se que é esse processo que gera o aprendizado!

Maratona de Desenho Faber Castel:

  • Em um ano em que se discute o futuro do nosso país, a Faber-Castell quer saber o que  as futuras gerações realmente querem.
  • Vamos convidar as crianças de sua escola a colocarem as ideias no papel desenhando aquilo que elas gostariam de ver no Brasil.
  • Veja como participar da maratona de desenhos da Faber Castel e inscreva a sua escola!
  • Para inscrever sua escola registre-se em clique aqui e
    compartilhe conosco pela hashtag #MaratonadeDesenho