Faber-Castell since 1761
Introdução Geral
Você está em:   Home  |  Professores  |  Trocando ideias  |  Pilares da Educação: Aprender a Fazer
Pilares da Educação: Aprender a Fazer

Pilares da Educação: Aprender a FazerTemas diversos e informações sobre Educação

Presenciamos um momento de grande demanda pela atualização e modernização da educação.

E os professores que fazem parte dessa geração têm a oportunidade de lograr conquistas, ousando e se desprendendo daquilo que impede o próprio crescimento.

O texto de hoje aborda o Pilar “Aprender a Fazer”, que faz parte das quatro aprendizagens fundamentais para os indivíduos, apresentadas por Jacques D’Elors, em relatório para a Comissão Internacional sobre Educação para o Século XXI – UNESCO.

Aprender a fazer é exercitar sua cidadania plena, ter coragem de executar, de arriscar-se, de experimentar e errar na busca por acertar. Aprender a fazer é aprender a usar construtivamente sua visão crítica, compreender o contexto ao qual está inserido e agir ativamente sobre ele, fazendo-se autor de sua própria história. Além disso, desenvolver a empatia e cultivar o sentimento de solidariedade para agir ativamente a fim de transformar a sociedade e a educação.

Por isso, aprender a conhecer e aprender a fazer são indissociáveis e servem tanto para os educandos quanto para os educadores. Ter iniciativa e intuição, experimentar, saber comunicar-se e resolver conflitos, ser flexível. Tudo isso é essencial em nossa vida acadêmica, profissional, pessoal e social.iniciativa

Aprender a Fazer

Segundo o texto oficial: “…aprender a fazer tem maior referência com a formação profissional. O indivíduo aprende e põe em prática os seus conhecimentos. Temos que perceber que aprender a fazer não pode ser apenas ensinar o jovem para uma função em que fará uma tarefa material. Para isso, deverá o jovem ser sempre atualizado, de acordo com o desenvolvimento industrial”.

qualificacãoPor isso, a noção de qualificação e a noção de competência devem ser trabalhadas de modo distintas. Aprender a fazer vai além de preparar alguém para uma tarefa material bem determinada. Tão importante quanto sua competência prática é sua competência pessoal.

É preciso ter uma combinação entre qualificação, comportamento social, sentido de equipe e capacidade de iniciativa, a fim de adquirir de uma maneira mais ampla competências que tornem as pessoas aptas a enfrentarem diversificadas situações e conflitos sociais.

Ainda segundo o texto oficial, o autor sugere que “Saber Ser” e “Saber Fazer” estão diretamente relacionados. Por isso alerta-se para a importância de ligação que a educação deve manter entre os diversos aspectos da aprendizagem.

Os pilares são quatro, e os saberes e competências a se adquirir, apesar de serem apresentados separadamente, não se dissociam por estarem imbricadas, constituindo interação com o fim único de uma formação holística do indivíduo. Desse modo, uma educação fundamentada nos quatro pilares da Educação sugere procedimentos didáticos que lhe sejam condizentes.

sentido_de_equipeAs aprendizagens devem evoluir para além da simples transmissão de práticas mais ou menos rotineiras, embora estas continuem a ter um valor formativo que não deve ser desprezado.

Em suas práticas diárias procurem sempre relacionar os temas abordados com as experiências e bagagens dos alunos. Invistam na relação dialógica com eles trazendo para a sala de aula a Pedagogia da Pergunta sugerida pelo Educador Paulo Freire (a ser detalhada em um futuro texto que você encontrará aqui em nossa Sala dos Professores), envolva os estudantes no processo que conduz a resultados, conclusões e compromissos com a prática.

 

Por fim, permita-se e ofereça aos alunos a autoaprendizagem e corresponsabilidade dentro das situações de ensino e aprendizagem.